[Resenha] Um ano inesquecível

um ano inesquecivel
Livro: Um ano inesquecível
Autoras: Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças
Número de Páginas: 400
Editora: Guttenberg

“O colorido que tinha tomado conta da paisagem nos últimos dias havia empalidecido novamente.”

Quando vi anunciarem o lançamento desse livro com Paula Pimenta (♥), Bruna Vieira, Babi Dewet e Thalita Rebouças, eu literalmente tive um treco e pensei: MEU DEUS, PRECISO COMPRAR! Aí, pra minha sorte, elas iam fazer lançamento na bienal do livro aqui do Rio, logo, não deu outra, lá fui eu comprar o livro e enfrentar a fila dos autógrafos por esse livro – fotos no final. Mas, enfim, bora pra resenha desse livro maravilhoso!!

O livro é dividido por estações, onde cada escritora ficou com uma estação do ano. Todos são contos juvenis que retratam a vida e as desilusões de adolescentes/jovens.

uai paula

O primeiro conto, chamado enquanto a neve cair, é da Paula Pimenta, minha escritora nacional preferida e, que por coincidência, escreveu sobre a minha estação preferida: o inverno ♥. Em seu conto, conhecemos Mabel, uma adolescente que está apaixonada por um garoto que caga e anda pra ela (quem se identifica com ela levanta a mão!), mas acredita firmemente que o beijo que os dois deram pode significar o início de uma relação mais séria. Logo, a menina se vê diante de uma excelente oportunidade: sua amiga a convida para uma viagem ao seu sítio durante o fim de semana e o Igor – seu crush – vai. Mabel fica super empolgada, mas nem tudo é como a garota quer, uma vez que seus pais inventam de viajar pro Valle Nevado do Chile e obrigam a menina a ir, mas Mabel mal sabe as surpresas que ela terá lá.

“Mas, de repente, no alto daquela montanha, sozinha, na neblina, com tanta dor e frio, fiquei pensando em tudo o que tinha deixado de viver.”

Amo a Paula Pimenta pois ela sempre cria personagens “iguais” a gente, personagens que reclamam e riem igual a mim e a você. E, dessa vez não foi diferente. Mabel é uma adolescente mimada que quer as coisas do jeito dela, que é muitas vezes influenciada pelas amigas, mas que sabe se divertir e dar valor as coisas. O ponto forte do conto é o amadurecimento que a menina sofre ao longo das páginas, que a faz “cair na real” e perceber que a vida não é o conto de fadas que ela imagina. Esse foi o meu conto preferido do livro, amei, amei e amei!

babi uai

O segundo conto é da linda (ela é um arraso, gente, que estilo!) da Babi Dewet, se passa no outono e  se chama: o som dos sentimentos. E, confesso, esse quase passou o da Paula Pimenta. Nunca tinha lido nada da autora e fui extremamente surpreendida pela sua escrita super fluida e simples.

O conto retrata a história de Ana Júlia, uma garota que leva uma vida atarefada pois está no último ano da escola e tem que fazer: enem, vestibulares, etc.  E, como se não bastasse, seu pai a obriga a fazer estágio em um escritório de advocacia, pois é o que ela pretende – porém, não quer – fazer. Ela não gostaria de fazer direito, assim como não gostaria que todas as pessoas do mundo cantassem a bendita música do Los Hermanos toda vez que ela diz o seu nome. Ela também não queria que João Paulo fosse uma dessas pessoas. Mas, ao conhece-lo, de uma forma inusitada em plena paulista, a menina vai descobrir como levar a vida menos a sério e ter um outono bem diferente do esperado.

“De toda as coisas que tinha aprendido durante os últimos meses, notar as pequenas coisas da vida era que mais fazia seu dia feliz.”

Babi Dewet ganhou totalmente meu coração com essa história e, em muitas partes, eu me vi sendo a Ana, a menina que tá sempre correndo de um lado pro outro e as vezes não consegue parar pra apreciar os detalhes da vida. Achei muito interessante observar as diferenças entre João – que decidiu fazer aquilo que ele gosta, ou seja, música – e Ana – super influenciada pelas opiniões, que estuda para uma faculdade de direito – e como, mesmo com tantas diferenças, os dois encontram pontos em comum.

capa da bruna

O terceiro conto é da Bruna Vieira. Veterana na minha estante e no meu coração, Bruna escreveu o conto que se passa na primavera, chamado a matemática das flores. E, por mais que eu não queira admitir, não gostei tanto desse como gosto dos livros dela.

Nesse conto, conhecemos Jasmine, uma menina que odeia matemática e, se espantem: flores. Sim, muito irônico. Sua mãe é dona de uma floricultura e, por isso, a menina sempre teve flores em cada detalhe da sua vida – incluindo no seu nome – e, logo, está cansada delas. Ela também não gosta do seu professor de matemática, o que vai dificultar bastante a sua vida e fazer com que seus pais, com medo de que ela reprove, a coloquem em uma aula de reforço. Logo, Jasmine terá que lidar com: matemática, o bullying de seus colegas por conta do seu cabelo cacheado, a pressão dos pais e o surgimento de um novo amor em sua vida que, por um infortúnio da vida, é seu monitor.

Gostei do conto, mas achei a Jasmine um tanto quanto chata em muitas partes e, quando não gosto muito da protagonista, é difícil que eu goste muito do livro/conto. Porém, ainda sim, Bruna continuará ocupando um espaço bem grande na minha estante.

thalita uai

O quarto e último conto é da Thalita Rebouças, a autora que era meu amorzinho na infância, mas que depois que eu “cresci” passei a não gostar tanto por achar muito infantil sua escrita. Ela ficou com o verão, o terror dos cariocas, e seu conto se chama amor de carnaval.

Em seu conto, iremos conhecer Inha, Kaká e Tati, três amigas inseparáveis que vãopara Búzios passar o Ano Novo e acabam saindo em vários sites de fofocas. Inha é a sonhadora do grupo, que quer viver um conto de fadas, mas é largada pelo namorado. Kaká, após ser trocada por um cavalo (leiam o conto), também só quer saber de um príncipe na sua vida. Tati, ao contrário das suas amigas, só quer namorar com um cara famoso pra ficar famosa e ser notícia meeeesmo, o que não vai ser difícil já que seu irmão está namorando a funkeira sensação, a  Kero-Kero-, e isso a torna cunhada da famosa, o que vai lhe render ingressos para ela e suas amigas no camarote mais badalado do carnaval, onde as três irão aproveitar muuuito. Lá, Inha pode conseguir o seu conto de fadas, mas com a desvantagem de ser um no carnaval e, com todos sabemos amor de carnaval/verão não dura, ou talvez estejamos enganado e Inha tenha muito mais do que imagina.

Há tempos não consigo mais gostar da escrita de Thalita, que apesar de ser divertida, não faz com que eu consiga me identificar em nenhum momento, o que não quer dizer que ela não seja uma boa autora. Logo, esse foi o conto que eu menos gostei, infelizmente.

lindas

O livro como um todo é muito bom e, o que é mais legal é o fato de todas as histórias trazerem personagens que se aproximam muito da vida real. Nenhuma delas vive um conto de fadas, são apenas garotas tentando, de alguma maneira, sobreviver a adolescência e tudo o que ela trás junto com ele.

Um ano inesquecível é um livro incrível que trás o melhor e o pior da adolescência de uma forma leve e divertida, que te deixa com aquele gostinho de quero mais.

Resenha por: Vanessa Oliveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s