Re(começar)

recomeçarTenho 14 anos, praticamente 15, já morei em três casas diferentes e estudei em quatro escolas, na verdade, estou indo para a quinta agora, ou seja, o recomeço sempre esteve muito presente na minha vida. A parte mais difícil do recomeço não é a mudança em si, pra falar a verdade, eu nunca liguei de mudar de casa ou de escola, isso é o de menos, a pior parte mesmo é o desapego. Eu sempre penso que me acostumei, que na próxima mudança eu não vou mais me importar, mas a verdade é que quanto mais velhos ficamos, mais as despedidas doem. Mas, eu não posso reclamar, dessa vez a escolha foi minha, quem escolheu mudar de escola fui eu, mas tendo uma oportunidade única de estudar numa escola federal que vai te trazer ótimas oportunidades no futuro, quem não aceitaria? Ninguém, ou quase ninguém.
Mesmo já tendo passado por muitas mudanças, sei que essa vai ser, de longe, a maior. Não estarei mudando apenas de escola, estarei mudando de vida também. Minha mãe costuma falar que eu vivo no ‘maravilhoso mundo da Vanessa‘ e parece que finalmente chegou a hora de sair, de mudar. Vou para uma escola diferente, onde não conheço ninguém, e dessa vez não terei meus pais para me levarem, vou de trem, é… chegou a hora de caminhar com as minhas próprias pernas. Vou abandonar muita coisa, deixar muita coisa pra trás, entre elas, o conforto. Sempre estudei perto de casa e agora, estudarei a quilômetros de distância e passarei a chegar em casa bem tarde, isso sem contar o fato de que terei que abandonar todas as minhas atividades seculares.
Entretanto, nenhuma das mudanças acima está mexendo mais comigo do que o fato de deixar meus amigos para trás. Estudei quatro anos na mesma escola, tempo suficiente para criar vínculos e me apegar bastante as pessoas. Na verdade, se vocês querem saber, estou escrevendo isso conversando com um dos meus melhores amigos, ou seja, as lágrimas estão caindo vez ou outra, mas é como diz em O Pequeno Príncipe: “A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar”. E, apesar de saber que a minha escolha vai me trazer benefícios no futuro, eu queria poder levar todos eles comigo para onde eu fosse, mas isso não é possível, até porque, seria egoísmo demais da minha parte.
Mas, apesar de tudo, eu acredito que é nessas horas que a gente vê quem são nossos verdadeiros amigos, aqueles que não importa a distância, estarão sempre com a gente. E, agora que eu vou me distanciar, eu espero ver isso naqueles em quem eu considero amigos, eu espero não me decepcionar, na verdade, acho que é esse o motivo do meu medo… tenho medo de ser esquecida, aliás, quem não tem?
Enfim, sei que fiz a escolha certa e não estou arrependida, estou apenas chateada pelo que estou deixando para trás, nunca pensei que fosse dizer isso, mas acho que até dos professores eu vou sentir falta. Mas, sei que essa é a hora de seguir em frente e não de olhar para trás, é como diz uma frase que eu li recentemente: “Pare de olhar para trás. Você já sabe onde esteve, agora precisa saber onde vai.”
Recomeços, por mais que doam, são necessários em nossas vidas, tenho a plena certeza disso. E, por mais que eu esteja vendo a parte ruim de recomeçar agora, sei que no futuro verei o quanto valeu a pena. E essa é a hora de me focar no que está a frente e não no que já passou, sou jovem e ainda tenho muita coisa pra viver, além do mais, sei que não faltarão oportunidade para rever os amigos antigos, até porque, recomeçar não significa abandonar. Essa é a hora de começar algo novo, hora de re(começar).

Escrito por: Vanessa Oliveira

Anúncios

4 pensamentos sobre “Re(começar)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s