Resenha: Deixe a Neve Cair

imagemLivro: Deixe a Neve Cair
Autores: John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle
Número de Páginas: 336
Editora: Rocco

Senti-me tão sozinha naquele trem… um “sozinha” esquisito, meio antinatural, que cresceu em mim. Era algo um pouco além do medo, em algum lugar à esquerda da tristeza. Cansada, mas não o tipo de cansaço que o sono conserta. Estava escuro e deprimente, mas não parecia que as coisas melhorariam se as luzes fossem acessas. Isso só serviria para eu visualizar melhor a situação desagradável.

 

Na noite de natal, uma inesperada tempestade de neve transforma uma pequena cidade num inusitado refúgio para insuspeitos encontros românticos. Um trem parte de sua estação e nele estão embarcados Jubileu, que está indo para a casa dos avós; Jeb, um jovem que esta indo visitar a “namorada” em GraceTown; e um grupo eufórico de lideres de torcida que estão indo para uma competição. Porém, o que já estava ruim, acaba por ficar pior ainda quando o trem atola em um amontoado de neve, impedindo que a viagem prossiga. Jubileu, Jeb e as líderes de torcida então, resolvem encarar a nevasca para ir para dentro de uma Waffle House, onde acabam presos. Enquanto isso, Keun está trabalhando como gerente da Waffle House e atendendo o Homem Alumínio, quando um cara vestido de sacolas plásticas entra ao mesmo tempo que as líderes de torcida estão fazendo um ‘aquecimento’ e Jeb tenta desesperadamente ligar para sua namorada, sem muito sucesso. E é a partir daí que os três contos surgem.

photo 4 (3)

O Expresso Jubileu, de Maureen Johnson, é o primeiro conto do livro. Nele vemos Jubileu(sim, esse é o nome dela), uma garota que planejava passar o natal na casa do seu namorado quando recebe a notícia de que seus pais foram presos e ela precisará ir de trem para a casa dos avós. Nesse trem, após um imprevisto que acontece, Jubileu se vê presa com milhares de líderes de torcida histéricas e acaba conhecendo Stuart, um garoto que mostra o quanto a vida dela é ruim e muda seu ponto de vista.

Nunca tinha lido qualquer livro da autora e confesso que gostei muito. Com sua escrita suave, Maureen fez  com que eu me apaixonasse rapidamente pelos personagens e devorar o conto em pouquíssimo tempo. A história é leve e rápida de se ler, possui momentos engraçados e românticos, sem contar o fato que a personagem principal, Jubileu, é uma figura! Dos três contos, esse foi, para mim, o melhor.

Além disso, você acabou de dizer a ele que caiu em um riacho congelado e ficou presa em uma cidade estranha. E ele desligou? Eu faria alguma coisa. Viria até aqui, com ou sem neve. Talvez pareça idiota, mas eu faria.

IMG_7873

O Milagre da Torcida de Natal, do aclamado John Green, é o segundo conto do livro. No mesmo cenário da nevasca, neste conto, vemos Keun, o gerente da Waffle House, preso em sua loja com catorze líderes de torcida que querem um jogo: Twister. Então, Keun e os dois funcionários presentes na loja, ligam para um de seus amigos a fim de que eles levem o Twister e possam fazer com que as líderes de torcida fiquem felizes. Keun, resolve ligar para Tobin que está assistindo uma maratona de James Bond com seus amigos, JP e Duke(uma garota e minha personagem preferida do livro), mas que prontamente atendem ao chamado.
Porém, assim como eles, os amigos dos outros dois funcionários também queriam levar o twister para as líderes de torcida e o que era para ser uma simples tarefa, acaba se tornando em uma verdadeira corrida. Em meio a nevasca e todas as dificuldades do caminho, vemos a história se desenrolar e ganhar vida.
Esse foi, de longe, o conto mais engraçado do livro. John Green soube exatamente como entreter o leitor porém, no quesito emoção, deixou um pouco a desejar.

“Mas, por outro lado (e esta é uma das minhas maiores reclamações a respeito da consciência humana), uma vez que você pensa um pensamento, é extremamente difícil “despensar”. E eu tinha pensado o pensamento.”

DSCN3735O Santo Padroeiro dos Parcos, de Lauren Myracle(outra autora que eu não conhecia), é o terceiro e último conto do livro. Nele conhecemos Addie, uma adolescente extremamente irritante, egocêntrica e que se acha a única com problemas. Ela está passando por um recente término de relacionamento e decide finalmente mudar e colocar sua vida nos eixos. Porém, não será nada fácil mudar, ainda mais depois da aparição de um mini-porquinho que Addie fica encarregada de pegar após prometer para Tegan, uma de suas melhores amigas e dona do porquinho, e Dorie, sua outra melhor amiga que acredita que Addie seja uma das pessoas mais egoístas do mundo.

Não foi meu conto preferido, mas gostei bastante, acredito que Lauren tenha conseguido achar o ponto de equilíbrio entre diversão e emoção nessa história sem deixar a desejar em nenhum dos dois aspectos. O clímax da história é o final, onde vemos os três contos se interligarem e acabarem formando um único conto de três capítulos gigantes.

Você só precisa dar uma boa olhada em si mesma, mudar o que precisa ser mudado e seguir em frente, querida.
10420432_734882483238040_8521991233098323839_n

O livro, como um todo, é muito agradável de se ler e possui uma incrivel capacidade de fazer você se apaixonar pelos personagens. Li na época de natal, mas acreditem, de natal mesmo, o livro não tem muito a ver, acho que é mais pelo fato de se passar no natal, espirito natalino, não sei. Enfim, recomendo a leitura, é ótimo para se relaxar e poder rir um pouco.

Resenha por: Vanessa Oliveira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s